Como as agências de comunicação se adaptaram e estão ajudando seus clientes a manterem a visibilidade da marca em momento de isolamento social

Desde que a OMS decretou estado de pandemia devido à proliferação do novo COVID-19, todos os setores estão sendo afetados. Não seria diferente para as agências de comunicação que, além de precisarem adaptar seu próprio sistema de negócio, ainda devem ajudar na adaptação dos clientes de forma criativa para que as marcas continuem em evidência.

De acordo com sondagem respondida entre os dias 25 e 27 de março por 64 empresas associadas da Abracom, o setor de comunicação corporativa migrou com rapidez e eficiência para o trabalho em casa. 92,2% das agências pesquisadas já têm 100% da equipe em home office, enquanto 7,8% mantém parte da equipe ainda no escritório. Nenhuma agência apontou 100% de trabalho presencial.

A RPMA, agência de comunicação integrada e projetos digitais, com 140 funcionários e mais de 130 marcas em seu portfólio de clientes, faz parte deste levantamento. Pensando na saúde e no bem-estar  de seus colaboradores, a agência estipulou o regime de home office para 100% do time em apenas quatro dias. No dia 12 de março, 5 dias antes da determinação do Governo do Estado, todos os funcionários que utilizavam transporte público foram liberados para realizar as atividades em casa, chegando a 100% da equipe no dia 16 de março.

A agência já trabalha com o Google Suite, o que facilitou a transição do trabalho presencial para o modelo remoto. Além disso, a empresa já disponibilizava a opção de realizar home office pelo menos uma vez na semana para seus colaboradores. Durante a quarentena, a agência já realizou sua tradicional reunião mensal – que tem como objetivo contar as novidades da empresa, cases e comemorar os aniversários do mês – de forma virtual, com todos os colaboradores on-line.

Além de se adaptar, a agência tem ajudado os seus clientes neste novo momento. O trabalho da RPMA tem ido muito além de criativas iniciativas, mas também tem apresentado soluções de serviços e negócios, organizando estudos com cenários e compartilhado informações para que as marcas estejam cada vez mais engajadas com os seus públicos neste momento.

Adaptações de escopo também foram realizadas para atender às necessidades dos clientes neste momento de “crise” como mover as ações planejadas de PR para o digital, engajando o público e o mantendo conectado com as marcas. A agência ainda está apoiando a comunicação interna de seus clientes, incluindo os que não têm esse serviço contratado, garantindo que as empresas se comuniquem com seus colaboradores

de forma assertiva, mesmo à distância. Além disso, a RPMA tem sido a interface direta de alguns clientes  com o Governo, como aqueles do setor varejo, por exemplo.

A RPMA também está na linha de frente apoiando grandes marcas que não podem parar durante a epidemia. A agência atua na área da saúde, com hospitais em sua carteira, bancos, varejistas e empresas de tecnologia. Sem falar nos aplicativos de delivery, como a Rappi, que está sendo fundamental neste momento de isolamento social.

A agência, seus porta-vozes e clientes estão disponíveis para pautas com foco na mudança de estratégia da comunicação no período, adaptação para o regime home office, e inovação e criatividade para manter a marca em evidência em meio à pandemia.

A RPMA desenvolveu um e-book, com tema guia de comunicação corporativa em  tempos de coronavírus, para ajudar as empresas a a entenderem melhor o que fazer com a comunicação em tempos de pandemia. Confira no link 45281-rpma-em-casa-ebook

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.