Grupo de Comunicação Interna levanta necessidade de treinamento das agências

A partir dessa aproximação com o mercado, a Abracom pretende desenvolver curso na área


 


Um bom relacionamento se constrói com muito diálogo e entendimento entre as partes envolvidas. É por isso que o Grupo de Comunicação Interna da Abracom retoma, em agosto, os contatos com os associados que atuam nesse segmento e que responderam à primeira enquete por e-mail, realizada em abril. O objetivo é aprofundar a compreensão das dificuldades enfrentadas por esse público na gestão do negócio e na prática profissional.


“Ter essas informações vai possibilitar a criação de oportunidades de capacitação que respondam às necessidades concretas do nosso mercado”, explica Claudia Cezaro, coordenadora do grupo e conselheira fiscal da Abracom. Ela acrescenta que, dessa vez, a enquete será feita por telefone, para garantir o detalhamento necessário de todos os pontos relevantes.


 


Parâmetros para licitações e concorrências


O Grupo de Comunicação Interna da Abracom está discutindo também uma das grandes dificuldades enfrentadas pelas agências: a falta de critérios para avaliar e contratar os prestadores de serviço de comunicação corporativa, diferentemente do que acontece há décadas em relação às agências de publicidade, cujo processo de contratação costuma ser informado a todo o mercado do início ao fim.


“Compartilhamos experiências de empresas que fazem licitação sem informar quem são os participantes do processo, outras que realizam mais de uma etapa de seleção e não informam quais as agências que foram aprovadas para as demais fases e algumas que sequer comunicam a todos os participantes qual o nome da agência vencedora da concorrência”, relata Jaíra Reis, também coordenadora do grupo e diretora de relações institucionais da Abracom.


Na visão de Jaíra, “nesse momento, em que toda a sociedade está amadurecendo suas relações, as agências de comunicação, que investem para participar desses processos de concorrência, precisam atuar ativamente para qualificar a relação contratante-contratado”.


Para minimizar esse problema e melhorar a relação das agências com o mercado, a equipe está analisando modelos de associações de classe que estabelecem diretrizes de aconselhamento para as corporações que desejam realizar processos seletivos. “A intenção é propor um guia de orientações para apoiar os associados e disseminar essas boas práticas entre os principais compradores de serviços das agências de comunicação”, reforça Jaíra.


 


Na mesma direção


Outro material que serve de instrumento de trabalho dos associados é o Caderno de Comunicação Organizacional (CCO), lançado pela Abracom em dezembro de 2008, que traz conceitos sobre essa área de atuação, sua importância, público-alvo, possibilidades de trabalho e ferramentas e, entre outros itens, como medir os resultados desses esforços. “Toda a comunicação interna pode – e deve – ter sua eficiência e eficácia medidas”, cita o documento, que exemplifica alguns mecanismos de avaliação. Clique aqui e confira o caderno na íntegra.


 


Texto: Luciene Câmara


FONTE: Abracom

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.