Agências de comunicação sentem impacto da crise econômica


Pouco mais da metade das agências de comunicação brasileiras (53%) já sentiram impacto da crise financeira mundial nos seus negócios. Pesquisa realizada pela Associação Brasileira das Agências de Comunicação (Abracom) com 73 empresas associadas à entidade mostra que a crise está influenciando aos poucos os negócios do setor.


Das agências entrevistadas, apenas 26% tiveram que renegociar fees, enquanto 58% delas tiveram que suspender ou adiar projetos em andamento.


Setenta e oito por cento informaram que não houve queda no número de prospecções/concorrências para novos projetos.


Em momentos como o enfrentado atualmente pela economia mundial, algumas empresas e/ou setores se beneficiam e vêem oportunidades de negócios. No Brasil, nessa área de comunicação, 26% tiveram oportunidades até agora.


Do total das participantes da sondagem, 29% tiveram que rescindir contratos tendo como justificativa a crise financeira e 13% substituíram contratos de longo prazo por projetos de curta duração.


Os efeitos da crise nem sempre são negativos: 25% foram procurados por clientes para desenvolver projetos especiais com o objetivo de enfrentar os efeitos dela.


A maioria das agências (63%) está otimista acreditando que seus negócios não serão afetados em 2009 – 29% acham que só vai afetar dependendo da evolução da crise.


Sessenta e sete por cento vão reprogramar investimentos por causa da conjuntura internacional.


Para enfrentar a possibilidade de crise na agência, 56% vão apostar em novos produtos e serviços para repor eventuais perdas no faturamento; 23% vão reprogramar custos fixos e renegociar contratos de aluguéis, serviços e produtos; e 21% vão cortar custos operacionais.


Mesmo com a crise batendo à porta de muitos países, no Brasil 44% das agências mantiveram quadro estável, enquanto 29% planejam demissões caso a demanda de serviços seja reduzida.


Apenas 29% conseguiram repassar os índices inflacionários na renegociação de contratos.


 


Fonte: Comunique-se


FONTE: C-se

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.