Presidente da Abracom afirma que a crise financeira mundial pode ser transformada em oportunidade

Ciro Dias Reis veio a Salvador para o lançamento do Conncep 2009 e falou sobre as tendências internacionais da comunicação corporativa


 


 


Durante o evento de lançamento do Conncep 2009 – IV Congresso Norte/Nordeste de Comunicação Empresarial e Pública, o presidente da Abracom – Associação Brasileira das Agências de Comunicação, Ciro Dias Reis, afirmou que, em momentos de crise, como o que vive a economia mundial atualmente, as organizações podem transformar crises em oportunidades. Para exemplificar, ele citou uma famosa frase do empresário Abílio Diniz: “na crise, enquanto uns choram eu vendo lenços”.


Este posicionamento foi utilizado pelo presidente da Abracom para apontar que as agências de comunicação, que atuam em assessoria de comunicação, relações públicas e assessoria de imprensa, têm a responsabilidade de mostrar aos seus clientes o valor estratégico da comunicação, principalmente na crise, e que as empresas como um todo – e não apenas alguns setores dentro dela – devem entender a comunicação como ferramenta estratégica nas organizações. O lançamento do Conncep 2009 aconteceu hoje, 24/10, com um café-da-manhã no Fiesta Hotel.


 


Raio X do mercado


O mercado das agências de comunicação cresce em ritmo veloz. Cerca de 1100 agências de comunicação operam no Brasil. Dessas, 600 estão no estado de São Paulo. Na Bahia, são 34 empresas especializadas. Em todo o país, aproximadamente 13 mil profissionais de jornalismo, relações públicas e áreas afins são empregados no setor. Em 2007, o setor faturou R$ 850 milhões.


Em abril de 2009, o IV Conncep, que será realizado pela Abracom em Salvador, reunirá empresas, setor público, profissionais e estudantes de marketing e comunicação. Os interessados poderão se inscrever a partir de meados de novembro no site www.abracom.org.br.


“Dos anos 70 a 90, o foco das agências de comunicação estava na assessoria de imprensa, mas hoje este é apenas um pequeno grão em meio ao amplo leque de serviços que as agências oferecem ao mercado. Assessoria e consultoria em comunicação; planejamento estratégico e política de comunicação; relações públicas; geração de conteúdo; balanço social; clipping unificado; análise editorial; comunicação para relação com investidores; novas mídias aplicadas à comunicação (Web 2.0), além de muitas outras demandas do mercado, fazem parte do portfólio das agências”, detalha Ciro Dias Reis.


Grande parte desses serviços, senão todos, está na lista de necessidades básicas de empresas que já entenderam a importância da comunicação corporativa. “Com a intensa exposição das companhias, órgãos públicos, ONGs e instituições de um modo geral, as exigências mudaram. Se antes, qualidade, sintonia e boa imagem eram suficientes, hoje as empresas precisam ter excelência, antecipar-se ao mercado e ter boa reputação”, afirma o presidente da Abracom. E completa: “Para ter credibilidade, a empresa precisa ser sustentável, ou seja, economicamente viável, socialmente justa e ambientalmente correta. Temos que estimular nossos clientes a serem assim”.


Se isso não acontece, os rankings disseminados anualmente, tais como o das melhores empresas para se trabalhar, ou o das empresas mais valiosas ou, ainda, o das empresas mais poluidoras do mundo, mostrarão quem são as verdadeiras organizações de sucesso do mercado. “Este sucesso é proporcional à qualidade do DNA da organização, que é sua ideologia central, o único aspecto que não pode mudar. Todos os outros, porém, devem evoluir se a empresa quiser crescer e permanecer (…). A inteligência competitiva nesse sentido é fundamental. Ela faz com que estejamos atentos às dinâmicas de mercado e às suas mudanças”, diz Ciro Dias Reis.  


FONTE: Abracom

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.