A reputação

 


Comunicação transparente agrega valor e reverte crise


  


Alinhamento da comunicação interna e externa, gerenciamento de fatores tangíveis e intangíveis com foco em relacionamento, avaliação emocional e racional dos stakeholders, ir além dos benefícios adicionais e formatar comitê de crise que mapeie oportunidades e riscos cotidianos. Esses são os ingredientes da comunicação da Unilever apresentados por Luiz Carlos Dutra, vice-presidente de assuntos corporativos da empresa durante o painel “A reputação: A comunicação na Era da transparência” do 1º Fórum Abracom de Gestão e Comunicação Empresarial. Para ele, viver os valores expressos pela organização e estar atento aos sinais de mercado também fazem parte da gestão bem sucedida da comunicação da companhia.


 


Já a Medial reverteu uma crise financeira com trabalho contínuo de comunicação. “Trata-se de um processo de transparência e consistência, que agrega valor à marca e é mensurável”, garante Luiz Kaufmann, presidente do Grupo Medial. Para ele, o grande desafio é como fazer as mensagens chegar à base da organização. E para isso não basta utilizar os veículos formais, mas principalmente a comunicação face a face. “Criamos vários mecanismos de interação, mas a idéia é transformar gestores em comunicadores”, afirma Kaufmann, que concorda que o engajamento dos presidentes das empresas é fundamental nessa estratégia.


 


Mediador do painel, o prof. Mitsuru Higuchi Yanaze, professor da ECA/USP,afirmou que está produzindo uma pesquisa na ECA/USP sobre a análise dos investimentos em comunicação a partir não só dos mecanismos formais de comunicação como de todos os itens comunicáveis de uma organização. Com isso, ele acredita que conseguirá formatar índices de imagem positiva das empresas e, com dados consolidados, chegar a mensurações sobre reputação. 


FONTE: Abracom

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.