7º Congresso: ?Não existem mais do que 50 pautas?

O título é uma piada com um fundo de lógica, uma frase repetida pelo jornalista Tonico Ferreira, da Rede Globo, e citada por Marcos Aidar, seu colega de emissora em São Paulo e produtor de pauta do ?Bom Dia Brasil?. ?Tem que se virar e buscar originalidade?, disse o segundo, nesta sexta-feira (16/04), no painel ?Afinal: divulgação empresarial tem mesmo vez na tevê??, do 7º Congresso Brasileiro de Jornalismo Empresarial, Assessoria de Imprensa e Relações Públicas.



De acordo com o jornalista, para emplacar pautas é preciso saber com quem falar na redação: ou com um produtor, ou ?com quem você conhece?, sempre evitando o bordão ?Me dá uma forcinha?…



Ligar para as emissoras é um caminho que, lembra Aidar, tem de passar pelo crivo do bom-senso. Em São Paulo há vinte telejornais com um total de 70 equipes de reportagem. Seriam 600 assessorias, diz Aidar, com base em dados da Abracom. ?Imagina se todas ligassem para a TV todos os dias… ?. Em contraste, ele mesmo se pergunta: ?Mas por que não ligam? Deveriam ligar mais….?.



O jornalista deu exemplos de circustâncias em que se pode entrar no noticiário de TV, de forma geral: consultor ou autoridade no assunto, representante de setor ou especialidade, empregador ou empregado, vítima ou parente de vítima de violência, ?herói?, suspeito ou parente de suspeito, pessoa considerada exemplo para a sociedade, destaque e líder, empresa que cede instalação para ser usada como cenário de reportagem.



Aidar também explicou um dos terrores de todo assessor: por que a pauta cai. As razões principais seriam estas: o fato não corresponde ao que foi apurado por telefone; o entrevistado fala mal, não tem objetividade; a equipe de reportagem é desviada para cobrir outro assunto; problemas na fita ou na gravação; equipamento quebrado; a matéria não foi editada e ficou velha; a fita foi apagada; o editor não gostou. ?Se você acha que um público merece aquela informação, procure o telejornal?, disse aos assessores, que precisariam insistir, sem perder o foco de cada programa.



Uma pergunta recorrente do público: por que as emissoras entrevistam e mostram a empresa e só citam o nome quando o tema é negativo. ?É muito simples: lugar de propaganda é no intervalo comercial, e ter responsabilidade social é uma obrigação?.




Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.