Agências de Comunicação começam a formar novas lideranças

Neste dia 15 de março (sexta-feira), Walter Nori assume formalmente a presidência da agência WN&P Comunicação, retomando a sociedade iniciada nove anos atrás com Monserrat Padilla. Nori é reconhecidamente um dos mais importantes profissionais da história da comunicação corporativa em nosso País (idealizador do Manual de Assessoria de Imprensa da Rhodia, por exemplo), tendo passado por alguns dos mais cobiçados cargos da área, em empresas como Volkswagen, Souza Cruz, Scania e Embraer, além de ter também ocupado a presidência da Hill and Knowlton do Brasil e a Superintendência do DCI – Diário do Comércio & Indústria. Ganhou, além disso, o Prêmio Profissional de Valor em dezembro último, concedido pela Escola de Comunicação e Artes, da USP, em parceria com o jornal Valor Econômico.



Sua vinda – ou volta – ao segmento das Agências de Comunicação, não deixa de ser um fato marcante, sobretudo num momento em que as grandes empresas do setor se unem em torno da Abracom – Associação Brasileira das Agências de Comunicação, entidade que nasce para fazer frente às várias demandas existentes e que quer contribuir para organizar um setor que cresceu muito e bem, mas de forma desarticulada.



A experiência Abracom, iniciada em maio de 2001, de conversas informais entre colegas de algumas agências, tem também servido para jogar luz sobre algumas lideranças que começam a surgir na área, dentro de uma visão nova e inovadora desta crescente atividade empresarial, que dobrou de tamanho em apenas três anos, e hoje conta com empresas (ainda poucas, é verdade) que faturam anualmente mais de R$ 10 milhões.



Agências como a CDN – Companhia de Notícias, In Press Porter Novelli, FSB Comunicações e Máquina da Notícia (que estão entre as maiores do País) participam com empenho total da organização da Abracom, através dos colegas Luiz Lanzetta e Yara Perez (CDN – Companhia de Notícias), Ivandel e Kiki Godinho (In Press), Marcos Trindade (FSB) e Eliná Mendonça, Inês Castelo e Ana Florence (Máquina).



Na construção da Abracom, a espinha dorsal vem sendo mantida pelo grupo de coordenadores e sub-coordenadores, integrado por Ivandel, Lanzetta e Marcos Trindade, mais os colegas Rosâna Monteiro (Ketchum Estratégia), Mauro Lopes (MVL), Vânia Bueno (nima), Sandra Sinicco (Informare), Janine Saponara (Lead), Waltemir Melo (Sinco) e Luiz Roberto Serrano (Serrano & Associados).



A eles, juntam-se lideranças de agências já de uma certa tradição e porte no mercado, caso de Gisele Lorenzetti e Flávio Valsani (LVBA), Irene Vucovix e Célia Romano (Lide), José Luiz Schiavoni e Ronaldo Alves de Souza (S2), Ramiro Prudencio (Burson-Marsteller), Rosana de Salvo e Sílvia Balzan (ADS), Suze Smaniotto (Acesso), Antonio Salvador Silva (Casa da Imprensa), Monserrat Padilla (WN&P), Nereu Leme (Casa da Notícia), Ana Regina Bicudo (Voice), Meg Guida e Eduardo Colturato (Porta-Voz), José Aparecido Miguel (Mais Comunicação), Silvia Helena Rodrigues (Sílvia Helena Editora), Carina Caldas (Textual, RJ), Ricardo Viveiros (RV Oficina de Comunicação), Nei Bomfim (Dança da Chuva), João Fortunato e Isabel Rodrigues (Rodrigues e Freire), Rita Furman (RAF Comunicação), Celina Monteiro de Barros (Item) e Paulo Figueiredo (A4 Comunicação)



Colegas de empresas mais novas também têm participado com destaque do movimento, possivelmente por enxergar nele uma efetiva contribuição para a organização do setor. É o caso de Pedro Cadina (Via News), Maysa Penna e Cláudia Rondon (RP1), Ciro Dias Reis (Imagem Corporativa), Iracema Guisoni e Leila Gasparindo (Trama),



Algumas lideranças históricas do setor também integraram-se ao núcleo da Abracom, com uma participação importante, caso de Mário Ernesto Humberg (CL-A e ex-presidente da Aberp), Bia Bansen (Bansen & Associados), Enio Campoi (Mecânica de Comunicação) e Claudio Amaral (Comunic).



Não pára por aí. Integram o grupo nomes como Bete Alina (B-A Comunicação), Floreal Rodriguez (Ponto Final), Cristina Vaz de Carvalho (Criscom, RJ), André Lamounier (Link, BH), Marta Dourado (Fudamento), Paulo César Nascimento (PCN, de Campinas), Cacilda Nunes Casado (Intersecion), Valdeci Verdelho (Andreoli & Associados), Marlene Coimbra (Publicom), Luiz Carlos Franco (Primeira Página), Ricardo Mendes Rosa (Mendes & Nader), Regina Sion (Intermeio), José Renato de Rezende Lara (Interface, BH), Bárbara Hartz (Hartz Comunicação), Laís Guarizzi (G&A Comunicação), Christiani H. Lourenço de Moraes (Enfoque, PR), Rumely de Franchischi (Destaque), Getúlio Alencar (Lu Fernandes Escritório de Comunicação), Caetano Bedaque (Bedaque Comunicação), Ana Maria Géia (AMG Comunicação), Antonio Mafra (Textos e Idéias), Cleinaldo Simões (Cleinaldo Simões Comunicação), Cláudio Sá (Conceito Comunicação), Raul Fagundes (RMA), Giovana Piccillo (GP Comunicação), Mario Viana (Allcom Partners) e Lima do Amorim (Século Z, RJ).



Muitos outros colegas acompanham o movimento e certamente deverão integrá-lo, caso obviamente concordem com o projeto em construção. Os nomes acima são de profissionais que participaram e apoiaram formalmente o projeto na sua concepção atual. Alguns outros colegas participaram de partes do processo, mas não deram seu aval formal, razão pela qual seus nomes não foram relacionados.



Nunca é demais lembrar que a Abracom busca uma ação efetiva de alargamento do mercado, inclusive na área pública, e busca, também, construir parâmetros de atuação tanto no campo comercial quanto ético, além de contribuir para a formação qualificada de mão-de-obra para as agências.



A Assembléia de fundação da Abracom está marcada para o próximo dia 25 de março. O grupo define os últimos detalhes, inclusive de composição da primeira diretoria, nos próximos dias.


FONTE: Comuniquese

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.