Inteligência artificial é tema de simpósio da IBS Brasil

Na última quarta-feira, 10 de outubro, a IBS Brasil e a Americas International College realizaram um Simpósio Internacional sobre inteligência artificial, tentando mostrar o impacto que essa nova tecnologia pode causar em empresas e pessoas nos anos que estão por vir.

O evento, que aconteceu no Auditório Peter Drucker, teve duração de uma hora e contou com uma bancada formada pelos professores Luiz Carnier e Ricardo Britto, com mediação da jornalista Stela Campos. Após dar um panorama sobre o tema principal aos presentes e aos que estavam assistindo pelo YouTube, o simpósio teve a participação de Ash Sobhe, professor da California State University e especialista em IA, que trouxe uma perspectiva estrangeira para a questão.

Em seguida, a diretora da Praxin Research, Cecilia Porto, mostrou resultados de uma pesquisa feita no mundo inteiro com profissionais do primeiro escalão do mercado de inteligência artificial, possibilitando uma visão real desse campo que está em crescimento e deve ser protagonista nos próximos anos. Na pesquisa, ficou clara a diferença de investimento e o interesse de empresários no assunto em regiões variadas do globo.

O final da palestra foi dedicado a perguntas, os dois professores ressaltaram diversos pontos sobre o presente e o futuro da inteligência artificial, assunto ainda desconhecido por muitas pessoas. Ambos destacaram a importância que os seres humanos irão ter nas empresas, salientando que mesmo com todas as tecnologias, o mais importante será a relação entre humanos e o convívio dentro do ambiente de trabalho.

A necessidade de mudança em cursos de graduação também foi defendida pelos professores, visto que tanto os números da pesquisa quanto suas experiências profissionais mostraram que os cursos estão com grades defasadas, que precisam evoluir para se adaptar para o que está por vir.

Outro fator ressaltado pelos palestrantes foi a renovação do mercado, mostrando que outras oportunidades surgirão, para quem souber aproveitá-las, principalmente para a força de trabalho jovem, que está mais ligada à tecnologia desde o nascimento e pode trazer muitas novidades no campo da inteligência artificial.

O professor Ricardo Britto, que também é diretor da Faculdade Americas International College, terminou enfatizando que as empresas que possuírem inteligência artificial serão as mais conceituadas no futuro e que companhias com essa tecnologia serão formadas por grupos de empresas que irão trocar conhecimentos e desenvolver os melhores produtos.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.