Programa de Inovação da Temple seleciona três startups

Ideias capazes de transformar a realidade em que vivemos. Esta é a essência das startups Nativos, yFit APP e Noise2, as primeiras empresas de tecnologia selecionadas nesta edição do Helix. O programa de inovação da Temple Comunicação, que visa o desenvolvimento de soluções criativas para o universo corporativo, escolheu três dos 12 projetos finalistas apresentados numa manhã de Pitch Day. 
A partir de agosto as três empresas passam a desenvolver seus projetos na Temple, usando a infraestrutura da agência em Belém, com 19 anos de atuação no mercado corporativo e um amplo portfólio de clientes interessados em inovação. Durante seis meses, a agência dará toda a estrutura necessária para que as ideias tomem forma antes de ganhar o mercado, como uma espécie de laboratório, dando consultoria e mentoria de especialistas na área de inovação e tecnologia.
 
Esta contrapartida da agência totaliza um investimento equivalente a R$ 400 mil. Cleide Pinheiro, diretora da agência, acredita que o Programa representa o novo momento da empresa, que está acompanhando as transformações no mercado da comunicação. “Essa primeira edição vai nos inserir nesse ecossistema de inovação de uma forma estratégica. As ideias apresentadas tem potencial de trazer novos negócios para a agência, e mostrar para o mercado de comunicação que possível crescer de forma colaborativa”, afirmou.
 
Selecionados
Das 12 ideias finalistas, os projetos escolhidos trazem soluções eficientes para demandas do mercado corporativo.  A startup yFit App,  criou um sistema, que já opera de maneira experimental, para oferecer uma rede de academias credenciadas visando os profissionais que não querem interromper  a rotina de atividades físicas. 
 
A ideia, que atendeu a área de Marketing Esportivo, do edital, pode alcançar 850 mil pessoas, em escala nacional. “Sentia faltade programas de startups focados em negócios, para desenvolvimento de programas em larga escala e vi na Temple uma oportunidade de trazer a ideia, uma oportunidade bem rara na região”, explicou Júlio Almeida, CEO da startup.
 
A vontade de solucionar um problema que muitas empresas encontram para abrir um ponto comercial inspirou o projeto CARTE.PLACE, da Noise2 que está desenvolvendo uma plataforma de Georeferenciamento da Informação de  coleta e organização de dados dos bairros da capital. De acordo com Samuel Burlamaqui, designer e mentor da proposta, o programa visa preencher a lacuna de falta de informação qualificada para quem quer empreender.
 
“O projeto está bem avançado, com protótipo e modelagem de negócios concluídos. O que falta agora é colocar a ideia no mercado e prospectar os clientes. Acredito que o Helix vai nos dar este empurrão”, acredita o designer.
Com foco no mercado de experiências, a Nativos desenvolveu um aplicativo de Market Place para conectar pessoas a novas oportunidades de lazer na cidade: conhecer um esporte radical, uma festa inusitada ou aula de SUP. “Vejo o tempo todo gente reclamando que não existe muita diversidade de lazer. Mas isso não é verdade. A ideia foi pensada para aproximar empreendedores de eventos a um público que quer se aventurar mais”, explicou Thaissa Bordalo, mentora da plataforma.
Os demais participantes estão recebendo feed backs da agência, com orientações para melhorias dos projetos, que futuramente podem participar de outras parcerias.
 
PitchDay
A escolha dos projetos se deu na manhã do Pitch Day, que ficou marcado pela diversidade dos projetos finalistas,  atendendo a todos os cinco eixos solicitados no edital: Comunicação Social, Negócios Sustentáveis, Ciências Humana e Sociais, Marketing Esportivo e Tecnologia da informação.
 
A banca avaliadora contou com a expertise dos diretores  Alan Cativo, Cleide Pinheiro e Verena Morais e dos convidados Iara Oliveira (UFPA), Zilma Nascimento (Ideflor), Antônio Abelém (Parque de Ciência e Tecnologia), André Pontes (Sebrae-Pa) e da coordenadora de comunicação da Alubar, Mônica Alvarez, representante dos clientes da agência.
 
“Esta é uma proposta que deve ser continuada na Temple até para oxigenar o mercado, oxigenar a Temple e as empresas”, disse Mônica Alvarez, coordenadora de comunicação da Alubar.
 
Para Antônio Abelém, diretor do Parque Tecnológico da UFPa, os projetos apresentados refletiram bem o ecossistema de startups paraense. “O nosso mercado precisa amadurecer. A proposta da Temple é interessante porque quanto agência de comunicação a empresa tem muito a contribuir com os projetos, que precisam de profissionais da área de comunicação e marketing”, afirmou.
 

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.