Abracom e Sinco realizam encontro para associadas em Belo Horizonte

O Sindicato Nacional das Empresas de Comunicação Social (Sinco) e a Associação Brasileira das Agências de Comunicação (Abracom) promoveram em 25 de março, na Associação Comercial de Minas Gerais (ACMinas), em Belo Horizonte, um encontro com as agências de comunicação filiadas às duas entidades. A reunião teve como palestrante o diretor-executivo do Sinco e da Abracom, Carlos Henrique Carvalho, que destacou a importância da abertura de negócios nos setores público e privado e fez uma abordagem sobre a profissionalização da atividade, por meio de cursos de capacitação em gestão empresarial.


 


De acordo com Carvalho, o mercado está em franca expansão e a expectativa é de um crescimento em torno de 23% este ano. Em 2010, o setor cresceu 15%, perfazendo um faturamento de aproximadamente R$ 1,5 bilhão. Lembrou que o segmento da comunicação corporativa, segundo a Federação Nacional dos Jornalistas (Fenaj), ocupa o 2º lugar no ranking dos maiores empregadores de mão de obra jornalística. São cerca de 1.400 empresas no País, que empregam mais de 14 mil profissionais de jornalismo, relações públicas e outras áreas do conhecimento. “O cenário é promissor e por isso precisamos nos preparar melhor para enfrentar os desafios”, recomendou o diretor do Sinco e da Abracom.


 


Segundo a diretora Regional do Sinco, Vera Lima Bolognini, o foco central do debate foi o desenvolvimento do mercado da comunicação corporativa em Minas Gerais. “Estamos começando a estruturar um trabalho com o objetivo de aglutinar as empresas em torno de demandas e necessidades comuns. Nossas metas são fortalecer o mercado e potencializar oportunidades para todos: empresários, gestores, profissionais da comunicação e, com isso, melhor atender às expectativas de nossos clientes.” Neste sentido, o encontro na ACMinas foi estratégico.


 


Ao lembrar fatos que marcam alguns dos melhores momentos da história centenária da Associação, que comemora 110 anos, o vice-presidente da entidade, Lindolfo Paoliello, destacou: “Aqui nasceram diversas entidades empresariais, entre elas, a Fiemg. Estamos muito satisfeitos em abrir as portas da Associação aos empresários da comunicação. Na verdade, estamos devolvendo ao segmento, muito do que a comunicação já fez por nós.”


 


O presidente da ACMinas, Roberto Fagundes, também prestigiou o evento. Na oportunidade, disse que a Associação Comercial quer acolher os empresários da comunicação corporativa do Estado. “Acabamos de agregar à nossa logomarca a palavra empresarial. Essa iniciativa visa representar a diversidade de nossos associados, que incluem empresas de todos os segmentos econômicos e sinaliza para uma mudança de atitude. Estamos fazendo um marketing positivo da ACMinas para mostrar aos olhos da sociedade que o nosso compromisso permeia o desenvolvimento com justiça social”, afirmou. Falou de parcerias estabelecidas com o propósito de oferecer minicursos aos profissionais da comunicação visando difundir conhecimento e promover oportunidades de atualização, inovação e modernização. “Cada vez mais, os brasileiros buscam aprofundar conhecimentos no exterior e isso acontece muitas vezes por falta de boas opções por aqui. Além desse projeto, também estamos criando o Conselho Municipal de Comunicação e Marketing”, revelou.


 


Resultados – Como principais encaminhamentos desse primeiro encontro, foram tiradas três comissões de que vão estruturar planos e cronogramas de trabalho visando à divulgação do setor de forma mais sistematizada. Dentre os principais objetivos estão: ampliar as oportunidades de negócios para as agências nos segmentos público e privado, aprofundar a profissionalização da gestão empresarial e promover a capacitação profissional por meio de cursos e eventos diversos.


 


Outra demanda pontuada pelas agências diz respeito a demandas nos campos técnicos, jurídicos e fiscais. A partir de abril o Sinco e a Abracom vão disponibilizar um serviço de consultoria jurídica para assessorar as empresas no esclarecimento de dúvidas nos campos trabalhista, empresarial, tributário, dentre outros.


 


Licitações


No que se refere à política de abertura de mercado no segmento público, a ideia do grupo é trabalhar para que haja uma imediata aplicação da Lei 12.232/10, cujos efeitos serão evitar que empresas que não atuem no setor participem de certames na área de comunicação integrada, estabelecer padrões de contratação com o setor público que considerem o custo/benefício na seleção das Agências, divulgar o setor e ampliar as oportunidades de negócios para as agências nos segmentos público e estabelecer diálogo e parceria com entidades públicas.


 


 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.