Repercussão do Prêmio Comunique-se

Inovador. O termo ecoou entre os jornalistas que participaram do lançamento do Prêmio Comunique-se de Jornalismo e Comunicação Empresarial, durante um almoço, nesta terça-feira (27/05), no restaurante Cantaloup, em São Paulo.



Entre os convidados estavam o diretor-superintendente do Grupo Exame, Sidnei Basile, o apresentador da Rede TV! Fernando Vanucci, o repórter especial do Estadão Lourival SantAnna, o editor do Jornalistas & Cia e colunista do Comunique-se Eduardo Ribeiro e o editor adjunto do Valor Econômico Carlos Eduardo Lins da Silva.



O presidente do SJPSP, Fred Ghedini, gostou da votação do público, em lugar da escolha de uma comissão. Para ele, alguns prêmios não têm critérios tão claros. "Se é público, cada um tem o seu critério, mas é bastante gente que participa". Ghedini diz ter dúvida quanto à influência de qualquer prêmio sobre a qualidade do trabalho do jornalista. O sindicalista ressalta que a estrutura das empresas e a formação ética e moral são determinantes no resultado do trabalho.



O  colunista do site Direto da Redação Mair Pena Neto afirma que o voto de 35 mil jornalistas é o trunfo do Prêmio Comunique-se. "Esse prêmio passa a ser o mais democrático entre os prêmios que existem para jornalistas".



O jornalista Sérgio Rondino destacou a falta de um prêmio que reconhecesse o profissional pelo conjunto dos trabalhos em um determinado período (junho de 2002 a maio de 2003). Rondino também elogiou a forma da escolha. "Pela primeira vez, graças à tecnologia moderna da comunicação, nós vamos poder ter o conjunto dos jornalistas analisando o conjunto da obra e personalidades da profissão".



O diretor-geral da allTV, Alberto Luchetti Neto, diz que é interessante o jornalista escolher os melhores de sua própria categoria. "Isso nos dá ao mesmo tempo responsabilidade e uma importância para este prêmio que nenhum outro tem".



A crítica de TV do jornal O Estado de S. Paulo, Leila Reis, enfatiza a distinção entre o Prêmio Comunique-se e os demais. "Ele abre um leque muito maior para privilegiar todas as áreas do jornalismo". A crítica aprovou a votação pelos usuários do site. "Pela primeira vez, a gente vai ver jornalistas votando em jornalistas. Não é mais um corpo estranho".



O presidente do Comunique-se, Rodrigo Azevedo, conta como nasceu a idéia do prêmio. O Comunique-se, três anos atrás, "quando ainda estava no papel", já previa a criação de um prêmio para jornalistas. "A partir do momento que a gente tem uma comunidade de jornalistas, faz todo o sentido usá-la para elegê-los". Azevedo considera o universo de 35 mil usuários suficiente para tirar o projeto do papel. "Eu tenho fé de que os jornalistas vão considerar muito o fato de serem escolhidos pelos próprios colegas. Isso é completamente diferente".
FONTE: Comuniquese

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.